//
Acepi
//
//
Notícias
Novo associado ACEPI: Polygon
Novo associado ACEPI: Polygon
7 de Julho de 2020
Fundada em finais de 2015, a Polygon assume-se, essencialmente, como uma empresa de cibersecurity e customer engagement, com grande investimento em Investigação & Desenvolvimento.

O objetivo da Polygon é disponibilizar as melhoras soluções e combinação de algoritmos, de forma a resolver problemas reais no campo da identificação e autenticação digital de utilizadores.

“O nosso core é identificar e autenticar utilizadores digitais, ou seja, garantir que uma determinada ação digital foi realizada por quem diz estar a realizá-la”. Para tal, foi construída uma plataforma que funciona como uma camada de autenticação que incorpora diversas soluções tecnológicas todas com essa finalidade, explicam os responsáveis da Polygon.

“Temos a capacidade de validar documentos, designadamente distinguindo imagens de primeira geração de outras, mas também, no caso de cartões de cidadão, validar se estão íntegros e a sua informação e válida”.

A plataforma também permite realizar autenticações biométricas por reconhecimento facial, de voz ou de impressões digitais (sem contacto), comprovar que estas autenticações foram realizadas por um ser vivo e em tempo real; fazer avaliações contextuais que incluem idade, género, emoções, piscar de olhos, direção do olhar, batimento cardíaco, concentração, entre outras em evolução; e validar presença de objetos físicos, designadamente com um token de segurança, entre outras valências.

Fruto de algum network e estratégia de divulgação da empresa, a Polygon fez os seus primeiros contratos no estrangeiro, designadamente na Polónia onde tem o maior projeto e um dos maiores projetos europeus na área específica e em Espanha.

Em Portugal o início foi mais lento, “fomos mais resistentes a este salto tecnológico, mas desde o final de 2018, particularmente o setor bancário, tem acelerado bastante”.

Hoje a Polygon tem já clientes na Europa, África e América Central, estando a expandir dentro dessas geografias para vários países.

“O negócio é muito facilmente escalável e podemos operar completamente a partir de Portugal. Crescemos de 20 para 32 colaboradores em 2019. Atualmente somos 34 e, apesar da COVID-19, vamos também voltar a crescer este ano”.

A adesão recente à ACEPI faz parte de uma estratégia de branding e aquisição de conhecimento. “Queremos que nos conheçam e queremos também ter acesso a informação nos fóruns dos setores em que estamos envolvidos. Somos uma das duas empresas portuguesas membros do Biometrics Institute exatamente pela mesma razão e se fazemos isso a nível internacional também o queremos fazer nacionalmente”.