//
Acepi
//
eMobile
//
Notícias
Internet e mobile no centro da estratégia da DIA Portugal para Minipreço e Clarel
Internet e mobile no centro da estratégia da DIA Portugal para Minipreço e Clarel
4 de Outubro de 2018
O ecommerce para as marcas Minipreço e Clarel ainda não é uma realidade no mercado português, mas há intenção que seja. De momento os sites e a app mostram-se essenciais no relacionamento com os clientes da DIA Portugal.

A DIA Portugal mantém dois sites ativos para as suas duas insígnias Minipreço  e Clarel , com um volume médio mensal, respetivamente, de 130 mil acessos e 15 mil acessos.

Em ambos os casos, tanto para Minipreço como para Clarel, as áreas do site com mais cliques são a Homepage e a área de promoções, “fruto das dinâmicas próprias que colocamos nas duas insígnias, que tem permitido uma estabilização do volume de acessos e uma fidelização em termos de visitantes online”, refere Jorge Madeira.

O diretor de Projetos, Digital e Parcerias da DIA Portugal destaca o papel dos sites na estratégia de proximidade e fidelização da extensa base de clientes das lojas físicas das duas marcas. “A extensão da nossa presença para o digital permite um acompanhamento mais imediato de todas as dinâmicas que empregamos em loja, atualizando conteúdos e promoções e permitindo que os nossos seguidores se mantenham devidamente atualizados sobre todas as novidades que vamos introduzindo em tempo real e onde e quando necessitarem dessa informação”.

No caso do Minipreço o site é um projeto completamente local, até porque, é uma insígnia que só existe em Portugal. “Por essa razão, alicerçamos a presença online do Minipreço nos valores que a insígnia transporta consigo há 38 anos, aproximando, fidelizando e capitalizando a confiança e seriedade que desde sempre os nossos clientes reconhecem na insígnia”. O site foi remodelado no ano passado “para acentuar estas premissas e os resultados deixam-nos muito confiantes no caminho que desenhámos”.

No caso da Clarel o site está de acordo com linguagem gráfica internacional e mantém a coerência institucional da insígnia, “embora esteja completamente localizado e respeite as especificidades do nosso mercado”.

Aposta mobile acertada

A aplicação móvel de suporte digital ao cartão clube Minipreço foi lançada no final do ano passado e conta, atualmente, com cerca de 100.000 utilizadores ativos. “A sua aceitação tem superado as nossas expectativas e temos desenvolvida algumas ações de premiação específicas para os detentores da App, como sejam, descontos especiais por volume de compra e campanhas próprias que ocorrem somente dentro da aplicação”.

Jorge Madeira reconhece que o percurso é longo, mas garante que têm trabalhado muito com o feedback recebido “para que possamos fazer evoluir a App, adaptando-a cada vez mais à tipologia de utilização dos nossos clientes”.

Acima de tudo, o grupo quis dotar os utilizadores de uma plataforma digital que permitisse simplificar alguns processos, tais como, a digitalização dos cupões de desconto que permitiu prescindir de ter de transportar cupões físicos na carteira.

Por outro lado, a app permite acompanhar o histórico de compras introduzindo um barómetro de premiação em função do volume e encontrar a loja Minipreço ou Clarel mais próxima através de geolocalização das mais de 630 lojas. “Quisemos ainda que os nossos clientes ficassem a conhecer antecipadamente os folhetos promocionais em vigor para que consigam programar a sua próxima visita aproveitando os descontos especiais em vigor semanalmente, fazendo uma lista de compras adaptada”.

A vertente mobile é encarada como “em constante evolução”. Têm sido feitas várias melhorias com o objetivo de aperfeiçoar a experiência de utilização e a intenção é continuar. “Estaremos sempre atentos às novas dinâmicas nesta área por forma a introduzirmos novas funcionalidades pertinentes sempre que se justifiquem”.

O comércio eletrónico ainda não é uma realidade em Portugal, mas vai ser, acompanhando a realidade de outros mercados onde a DIA está presente, num projeto que está a ser desenvolvido “com seriedade”, garante a marca. Os primeiros passos foram dados este ano na loja que aberta no Mercado de Santos, em Lisboa. “Estamos a recolher dados nesta fase que possam servir de modelo ao plano de expansão que viermos a desenvolver no futuro”.