//
Acepi
//
eMobile
//
Notícias
Chronopost otimista com negócio mas à espera de mercado mais concorrencial
Chronopost otimista com negócio mas à espera de mercado mais concorrencial
9 de Maio de 2018
Superou as expectativas de faturação para 2017 em Portugal, muito graças ao aumento da atividade no ecommerce e tem perspetivas otimistas para este ano. Sobre o mercado no geral apela a uma harmonização de procedimentos que tornem o sector mais concorrencial, dando aos comerciantes online a possibilidade de mudarem mais facilmente de operador postal.

Ao longo de 2017, a Chronopost  entregou 12,9 milhões de encomendas aos portugueses, sendo que uma grande parte destas foram provenientes de compras online. O segmento B2C obteve um crescimento de 27% e o Chrono Classic, um serviço rodoviário internacional, registou uma subida de mais 26%. O balanço foi por isso “muito positivo”.

As receitas aumentaram 11%, para 43,4 milhões de euros, o que permitiu à empresa de entregas expresso reforçar a quota de mercado em Portugal. Só o serviço de entregas diretas na rede Pickup, que conta com cerca de 600 lojas em Portugal, registou mais de 1,3 milhões de encomendas entregues durante o ano passado. “De facto, o incremento na faturação superou as expetativas traçadas para o ano, tendo sido alavancado pelo aumento da atividade de ecommerce em Portugal, naturalmente com enfoque nas compras online de particulares, e ainda pelo serviço internacional rodoviário”, destaca Olivier Establet.

Os resultados positivos nestas duas áreas parecem prolongar-se por 2018. Só nos dois primeiros dois meses deste ano, o serviço rodoviário internacional registou uma subida para 33%. Outro dos sectores que irá continuar a crescer é o comércio eletrónico. “Acreditamos que o B2B, que tem apresentado uma tendência constante e progressiva, a prazo, vai ser ultrapassado pelo B2C”.

Para este ano estão igualmente a ser preparadas duas novidades. A primeira é a criação de um portal de devoluções, em que o cliente pode entrar no site da Chronopost, escolher a opção de recolha da encomenda em casa ou na rede Pickup e, nesta opção, imprimir a etiqueta QR Code ou transferi-la para o tablet ou smartphone. Por fim, apresenta-a ao empregado da loja da rede de recolha.

Até ao final de junho, a Chronopost pensa disponibilizar uma aplicação em Portugal, que servirá como mercado-piloto para testar o serviço mobile. Segundo a empresa, a app permite mudar de local de entrega da encomenda ou numa nova data, efetuada de forma gratuita. “No fundo, é mais uma forma de interação com o consumidor final, pois irá permitir que o cliente gira as suas preferências”, refere Olivier Establet. Disponível para os sistemas Android e iOS, o download será gratuito.

Medidas adotadas são benéficas para o ecommerce mas falta harmonização de procedimentos

A Comissão Europeia tem vindo a fazer diferentes propostas para reforçar dos direitos do consumidor, nomeadamente para o comércio eletrónico, como a maior transparência nos mercados online ou a maior transparência dos resultados de pesquisa nas plataformas eletrónicas, medidas que a Chronopost considera “claramente benéficas”, para um sector que ainda gera alguma desconfiança entre os consumidores.

Várias das medidas já são antecipadas pela empresa. “Uma aposta da oferta da Chronopost para o comércio eletrónico é a total gestão do processo de entrega da encomenda pelo comprador online”, sublinha Olivier Establet. “O e-shopper recebe uma SMS ou email dando conta da chegada da encomenda no seu domícílio, bem como da janela horária de uma hora em que a mesma vai ser entregue, ou de que a mesma já se encontra na loja que pré-definiu, para levantamento nos 10 dias úteis seguintes”.

O processo de devoluções facilitado é, ainda hoje, uma das principais preocupações de quem compra e está presente na conceção de toda a experiência ao consumidor da parte de quem vende. Esta é também uma das situações que carecem alguma atenção por parte dos legisladores. Neste âmbito, a resposta da Chronopost é o lançamento do portal de devoluções.

Sobre o mercado das entregas postais no geral, a empresa considera que falta uma harmonização de procedimentos que torne o mercado mais concorrencial, dando aos comerciantes online a possibilidade de mudar mais facilmente de operador postal, “uma vez que isso não irá acarretar uma alteração nos procedimentos de embalagem, ou de relacionamento com o cliente final, devido às políticas da empresa de logística”.

Independentemente disso, a Chronopost Portugal deixa a promessa de continuar “a estudar novas áreas de negócio e ferramentas inovadoras”, sempre “com a tónica do crescimento anual consecutivo a mais de dois dígitos que se está a verificar no ecommerce e que se prevê acentuar nos próximos tempos”.